Aconteceu em setembro de 2013 na Massai Experience, a exposição do fotógrafo Toddy Holland de nome “20×40”, que comemora 20 anos de carreira e 40 de vida.
________________________________

Texto de Max Leal:

MEGATONS DE BRANCO-NUVEM: 20 ANOS DE INVENÇÃO
A exposição que vocês estão prestes a apreciar é resultado de um paradoxo. 40 anos de existência, 20 anos de trabalho e uma vida inteira de um irresolvível paradoxo. Não precisa conhecer Toddy, nascido Custódio, para perceber dois polos que nele se contrapõem e se equilibram.
Abra bem os olhos e você vai ver a incrível força das cores em suas imagens. Está lá sempre: um vermelho que tira a calma, um preto-e-branco que te leva longe, um azul que te põe pra dormir. Aposto um arco-íris que é essa energia acumulada na luz que suaviza sua pessoa.

Eis o conflito: um milhão de megatons nas cores de alguém, cujo próprio olhar não pesa mais que branco-nuvem.

Abra bem os ouvidos. Ouça-o bem. Quando estiver com ele, perceba-o. Você vai ver que, não raro, Toddy perde a frase no meio (“Por que eu tava falando isso mesmo?”), como quem deixa cair um objeto no chão. Ou faz aquelas perguntas desconcertantes de um jeito tão suave que dá vontade de responder sem pensar. Perguntas que você não estava preparado para ouvir.

Toddy é capaz de te por contra a parede, sem que você sequer perceba – muito menos ele. E vive se metendo em encrenca por causa disso. Tem gente que não compreende. Já ri muito com as histórias que ele mesmo me conta. Sobre gente que não entende o que ele diz. Sobre as situações que só acontecem com ele. É um menino dando um rolé no mundo dos adultos. Toddy ainda não banalizou a alma e vai continuar achando feio e estranho o que for feio e estranho.

Esta exposição é a incrível história de um cara que perdeu a frase no meio porque viu o azul do céu. O tipo de coisa que, para nós, é só coisa; mas que, para ele, é outra coisa. É a incrível história de um sujeito que pode se transformar no que quiser – publicitário, surfista, videomaker, apresentador de televisão, mas que escolheu ser fotógrafo, porque já nasceu artista. Fotógrafo porque é artista, não o contrário.

Abra bem os olhos, os ouvidos, o coração. Você está prestes a conhecer alguém que sempre foi paradoxo, contradição, luta infinda entre a força das cores e a leveza do ser. É do âmago desse conflito que vem toda a sua capacidade de criar, imaginar, sair do real. Repare: Toddy nunca foi Custódio, já nasceu invenção.

Max Leal

Amigo e Publicitário

Entrevista para TV Massai

Entrevista para TV Master

Ricardo Castro – RC Vips

Isa Monguilhott – Ganhadora do sorteio da obra

 



Últimos posts:













© 2012 - Toddy Holland - + 55 83 8838 9848 Tim | 8790 0199 Oi

Carregando...